Todo bom cristão teve que ler, nem que seja uma vez em sua vida, o Catecismo da Igreja Católica, livro originalmente escrito para ser fonte e texto de referência para bispos e diocesanos designados nas paróquias, de maneira que eles o utilizem na criação de seus programas catequéticos. Este livro apresenta o Catecismo em sua forma mais abstrata e acadêmica; o como se deve ensinar a doutrina contida aí sempre se deixou que seja a critério dos catecúmenos locais.

Utilizamos o exemplo do Catecismo para ilustrar claramente o desafio comum que enfrentamos como pais católicos: como tornar específico um ensino geral? como fazer da teoria uma prática diária? Como simplificar o conceito complexo sem perder a ideia essencial? Este desafio se faz concreto particularmente na vida familiar.

A vida familiar pode ser descrita como o dia a dia de numerosas atividades que civilizam essas pequenas barbáries, as quais terminamos de polir em nosso próprio caminho de conversão. Fazemos que nossos hábitos, costumes e práticas de nossa vida cristã sejam compreensíveis e ensináveis aos pequenos sem fazer que estes ensinamentos sejam chatos ou superficiais.

Os seguintes conselhos para praticar a Quaresma respondem a este desafio. decidimos começar com o jejum, indicando qual é seu objetivo, e logo sugerindo algumas formas de tornar proveitoso este período de 40 dias de oração, penitência e exercícios espirituais em preparação para a celebração da Páscoa.

Existem dois tipos de jejum:

1) Jejum corporal ou externo

Inclui a abstinência de algumas comidas, bebidas e outras diversões como a música, as festas, os jogos de azar, etc. sobretudo nos dias próximos ao Tríduo Pascal.

Em uma sociedade hedonista atravessada por uma cultura de morte como a nossa se faz necessário a pratica do jejum, a qual deveria começar pela família.

Práticas Corporais

  • Rezar um rosário extra.
  • Evitar a televisão e os vídeos; em vez disso , ler a Paixão de Cristo na Bíblia ou Missal.
  • Evitar escutar música na rádio todo o dia.
  • Não utilizar adoçantes nas bebidas.
  • Não utilizar condimentos na comida.
  • Não comer nada entre as refeições.
  • Comer menos das comidas que você mais gosta e mais daquelas que não gosta.

2) Jejum espiritual ou interno

Consiste na abstinência de todo pecado mortal. São João Crisóstomo ensinou que o valor do jejum consiste nem tanto na abstinência de comida; mas sim na abstinência de praticas pecaminosas. E São Basilio o Grande explicou que afastar-se de toda maldade significa manter nossa boca fechada, controlar nossa ira, eliminar nossos desejos maus e evitar toda intriga, mentira e blasfema. Abstendo-se de todas estas coisas descansa o verdadeiro valor do jejum.

Pratica internas

  • Não conversar mais do necessário; em vez disso, faça algumas pequenas jaculatórias em todo o dia.
  • Exercitar a paciência em todas as coisas.
  • Não fazer nenhuma queixa.
  • Controlar a ira; em vez disso, sugere-se sair ao encontro da pessoa que provocou a irritação.
  • Evitar a intriga.
  • Quando alguém lhe pedir que faça algo extra, faça-o com alegria e boa disposição.
  • Fale em bom tom a todos cada dia.
  • Evite utilizar o telefone.
  • Sempre fale a verdade em todas as circunstâncias de sua vida.
  • Evitar a vaidade e o egoísmo.

A prática das virtudes e as boas obras deve ser outro nosso de na Semana Santa. Os Padres da Igreja insistiram que durante a Quaresma se deve ser fiel aos serviços próprios deste tempo litúrgico e assistir à Missa diariamente.

Com o passar do tempo, nossa disciplina pelo jejum sofreu numerosas e radicais mudanças. Hoje em dia, infelizmente, a observância da Quaresma se converteu em mero formalismo, reduzido à abstinência em certos dias, sem nenhuma preocupação no crescimento espiritual ou no propósito de ter uma coerência de vida.

É urgente retornar às raízes do espírito desta grande festa tão requerida nestes tempos em que o mundo é presa da cultura material e superficial.

Pratica espirituais (virtudes e boas obras)

  • Praticar a humildade hoje em dia em todas nossas ações.
  • Ser generoso; ajudar a alguém que necessite.
  • Observar todas as formas possíveis de ser solidário durante o dia.
  • Fazer o trabalho que precisa ser feito sem que alguém lhe peça isso.
  • Não seja ocioso todo o dia. Sempre faça algo pelos outros ou por seu próprio crescimento espiritual.
  • Saia ao encontro para ajudar às pessoas ou converse com alguém que está em dificuldade.
  • Seja voluntário em um trabalho solidário.
  • Visite alguém que está doente.

Adaptado de ACIdigital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here