Contos de fadas ‘às avessas’ narram fuga de crianças da guerra da Síria

Unicef lançou série de animações falando do drama envolvendo as crianças. Animação conta viagem de uma menina de sete anos em um barco furado.

0
307

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lançou filmes de animação em uma tentativa de sensibilizar o mundo a respeito dos horrores da guerra da Síria, que já expulsou do seu território mais de 4,8 milhões de pessoas.

A série “Unfairy Tales” (“Contos Desencantados” ou “Contos que não são de fadas”, em tradução livre) tem três histórias. “Malak e o barco”, que já recebeu legenda em português, conta a viagem de uma menina de sete anos em um barco furado. (Veja o vídeo acima)

Já “Ivine e o travesseiro” reproduz a história da adolescente Ivine, de 14 anos, e de seu travesseiro. Depois de uma fuga perigosa da Síria, a adolescente chega a um campo de refugiados na Alemanha apenas para enfrentar novos desafios.

Outra animação conta a história de Mustafa, de 13 anos, que depois de deixar sua casa, fica imaginando quem restou para ser seu amigo. Para ver as outras animações, clique aqui.

Animação conta a história de Mustafa, que depois de deixar sua casa, fica imaginando quem restou para ser seu amigo (Foto: Reprodução/Unicef)
Animação conta a história de Mustafa, que depois de deixar sua casa, fica imaginando quem restou para ser seu amigo (Foto: Reprodução/Unicef)

Deslocamentos
Em todo mundo, pelo menos 65 milhões de crianças e jovens foram obrigadas a abandonar suas casas por causa de conflitos, da pobreza ou de climas extremos, segundo a Unicef. Entre as crianças sírias, muitas acompanham os pais em perigosas travessias pelo Mediterrâneo em uma tentativa de encontrar asilo na Europa.

As agências de notícias trazem frequentemente notícias de naufrágios. A foto do menino Aylan Kurdi, encontrado morto em uma praia turca em uma tentativa de chegar à Europa com a família, em setembro de 2015, chamou a atenção da comunidade internacional para o problema.

Após chegar à Grécia, os migrantes partem em uma árdua caminhada pelos países balcãs na tentativa de chegar a países como a Suécia e a Alemanha, que possuem legislações mais acolhedoras para os migrantes. Apenas a Alemanha recebeu 1,1 milhão de solicitantes de asilo em 2015.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here